O dia em que eu disse Sim!


    Partindo do pressuposto de que você ainda não me acompanha há muito tempo, caiu de paraquedas neste blog ou me conheceu recentemente: eu e Mateus (mais conhecido como Susy) namoramos há quase seis anos, já passamos por um milhão de coisas extraordinárias - e algumas ruins também - juntos e é com o coração querendo saltar do peito que eu conto pra vocês, hoje, que estamos oficialmente noivos. Há algum tempo compartilhei por aqui que compramos um apartamento e já estávamos planejando uma vida juntos, mas neste último sábado, 02/02/2019, ele me surpreendeu com o pedido de casamento mais encantador do mundo e que ainda me faz sorrir igual boba quando eu lembro. Hoje eu vou contar pra vocês um pouquinho de como foi dizer o tão esperado "sim". 

     Desde que começamos a planejar nosso futuro, a pensar na palavra "casamento", eu vinha dizendo que queria muito um pedido oficial, que era importante pra mim. Eu sei que muita gente não faz mais isso e até mesmo minha mãe me dizia que não havia a necessidade, já que o casamento era um destino óbvio pra nós e já estávamos falando sobre. Meses de conversa se passaram, até brigamos algumas vezes porque a espera pelo pedido que nunca vinha me deixava muito frustrada, afinal, são quase seis anos, né? Mas se você está passando por algo parecido, me permita um conselho: vale muito a pena esperar. 

     Na sexta feira, dia em que ele geralmente vem pra minha casa, Mateus me enviou uma mensagem dizendo que não poderia me ver e iria ajudar a mãe dele cuidar das afilhadas dela (gêmeas com pouco mais de um ano) porque o padrasto dele faria hora extra no trabalho. Acreditei bem fácil, porque as gêmeas costumam dormir lá nos finais de semana mesmo. Ele emendou a desculpa dizendo que no sábado iria no centro com a mãe dele, resolver umas coisas e por aí vai, fiquei chateada na hora porque a gente só passa os finais de semana juntos, mas tudo bem. Aproveitei o sábado pra fazer faxina, hidratar o cabelo, fazer as unhas, mas em momento algum desconfiei de nada.

     O plano era sairmos a noite pra comer alguma coisa sozinhos, já que costumamos sair mais com os amigos. Adorei a ideia, fiquei super ansiosa e me arrumei toda, jurando que iria apenas tomar uma cerveja. O combinado era que eu o buscasse às 21h e assim eu fui (alguns minutos atrasada, confesso). Juro que dirigi o caminho todo torcendo "por favor, seja hoje" e ao mesmo tempo tentava ignorar minhas expectativas "é só uma cerveja". E enquanto isso ele me esperava assim:


    Nosso aniversário de namoro é no próximo mês, dia 17 de Março, que é quando eu realmente esperava um pedido. Então imaginem a minha reação, quando ao entrar na cozinha da casa da minha sogra, encontrei o homem que eu amo rodeado de pessoas que eu também amo: meus pais, tios, nossos amigos todos me esperando. Primeiro fiquei chocada, não conseguia falar e tampouco fazer qualquer coisa a não ser olhar pra ele, depois comecei a chorar e tive medo de não conseguir verbalizar o "sim" que eu vinha querendo dizer há tanto tempo


     Nós passamos por muita coisa até chegar aqui, aprendemos das maneiras mais difíceis e lutamos todos os dias pra continuar preservando o que sentimos um pelo outro. Ainda somos muito novos e ainda vamos descobrir muitas coisas, desbravar outras e, é claro, encontrar mais pedras no caminho. Mas estou orgulhosa de tudo o que construímos até aqui. Há cinco anos atrás eu e Mateus éramos pessoas completamente diferentes, inexperientes e foi necessário muito amor, companheirismo, conversa, respeito e honestidade pra que este dia chegasse. Dizer sim foi uma das melhores escolhas que eu fiz até hoje, um dos momentos mais felizes da minha vida e eu quero poder um dia (daqui há muito tempo) contar pros meus filhos e netos. A nossa história começa aqui e eu estou muito feliz de poder dividir isso com vocês. PS: Te amo Susy*.

*Susy é o apelido dado ao Mateus pelos nossos amigos. 

2 comentários :

  1. Aaah, meu Deus!! Estou sorrindo feito boba nesse momento.
    Tenho um relacionamento de cinco anos, e os meus sogros e os nossos amigos vivem perguntando "quando é que vocês vão casar?". Admito que antes eu não pensava tanto, já que somos relativamente novos e ainda existe um caminho (faculdade, emprego, etc) pela frente. Mas recentemente acho que chegamos a conclusão de que (talvez) nada disso seja realmente um empecilho, não é mesmo?

    Você disse ter se sentido frustada com a demora do pedido e nesses momentos acho que se passam diversos pensamentos em nossas mentes, não é? kkkkkkkk Eu e meu namorado também só nos vemos aos finais de semana porque o meio é corrido e nossos horários não batem muito. Eu ri pra caramba quado você escreveu "por favor, seja hoje", kkkkkk. Enfim, terminei de ler o seu post concordando e suspirando. ♥

    Que tenha ainda mais amor, respeito, companheirismo honestidade e fé na vida e no relacionamento de vocês. Felicidades Taísa e Matheus! ♥

    Com carinho,
    Jessie do blog Cacto Florido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Jess, sei bem como é essa sensação de insegurança quanto à idade e etc... Eu sou mais velha que o Mateus então isso me incomodou de uma maneira diferente. Eu já me sentia preparada e desesperada pra sair de casa enquanto ele ainda não tava na vibe, saca? Como vc disse, o que me fez ser paciente foi a faculdade (na qual eu me formei esse ano), foquei no tcc e tentei ignorar a ansiedade pra ficar noiva logo...

      Outra coisa que pesou muito foi o tempo de namoro, mas realmente, se vocês acham que ainda não é a hora... o certo é esperar mesmo. Eu não sei se teria ficado noiva se ainda faltassem dois anos pra me formar, por exemplo, por questões financeiras mesmo. Tudo tem seu tempo, vale muito a pena esperar, de verdade!

      Obrigada pelas boas energias, desejo tudo em dobro pra ti <3

      Excluir

My Instagram

Copyright © Toca Geeky | Universo Geek, Lifestyle e muita criatividade!. Made with by OddThemes . Distributed by Weblyb